• en
    • es
Close
  • Latinamerican Contemporary Design

Você é um líder disruptivo?

Assisti uma palestra sobre lideres disruptivos com a futurista Jaqueline Weigel no InovaBra em São Paulo e gostaria de compartilhar essa aprendizagem.

Antes de tudo gostaria de esclarecer o que é “disrupção”. Basicamente é “ruptura nos negócios” e de acordo com Clayton Christensen, professor de Harvard e criador do termo é “um conjunto de inovações que, ao oferecer produtos acessíveis e gerar novos mercados desestabiliza os lideres de um setor especifico”.

Sendo assim novos tempos, pedem novos lideres. Lideres não apenas inovadores, mas acima de tudo transformadores com uma aprendizagem e visão de curto, médio e longo prazo.

Com o entendimento que lideres são “agentes de mudança” e que novos conceitos compartilhados e praticados por eles vão gerar novos modelos mentais que por sua vez, geram novas percepções e modelos de negócios, produtos e serviços.

Por isso, a transformação deve ser interna com autoconhecimento, para posteriormente gerar inovação exterior seja pessoal e profissional e nos negócios.

“Disrupte-se primeiro ou será disruptado” poderia ser o novo lema do século 21!

Ela explicou o que é futurismo, há ainda muita confusão sobre o termo e o seu uso, brevemente, ela esclareceu que o futurismo é uma ciência e método para olhar para o futuro e trazer esse futuro para o presente por meio dos passos de “foresights para insights para actions”. Em artigo na revista Exame, menciona-se o seguinte:

“Para inovar e sobreviver a empresa deve identificar o padrão de disruptura do seu setor, avaliar riscos, traçar estratégias e visualizar oportunidades”.

Esse é o papel dos futuristas dentro da empresa, eles se antecipam ao futuro e redirecionam a empresa para esses futuros desejáveis.

Relacionando isso com o Design, os futuristas mostrariam os futuros viáveis em termos de oportunidades e possibilidades e os designers avaliariam esse futuro a partir de  conceito, tecnologia, valor, implementação, mercado, escalabilidade e materializariam esses novos produtos, serviços e modelos de negócios. Em poucas palavras, se você quer ser uma empresa disruptiva em seu setor, precisa desses dois profissionais lá dentro no coração da empresa: Futurista e Designer!

Essa junção de forças permitira melhor ainda que a empresa tomasse ação em cinco frentes (revista Exame):

– direcionar investimentos a novas capacidades de produção

-ativar a demanda por novos produtos

-usar tecnologias que aumentem a lucratividade

-reduzir a dependência de ativos tradicionais

-definir o rumo certo para novos negócios e oportunidades

Imagine a força criativa e inovadora de um líder disruptivo trabalhando junto com futuristas e designers! É isso que a Amazon faz e explica totalmente a posição global da empresa.

Ela ainda trouxe algumas características do que é ser um líder disruptivo:

  • Futuro abundante

Um líder antes que tudo, pensa num futuro abundante e como todos podem ter acesso a esse futuro, um futuro de infraestruturas otimizadas de educação, saúde, mobilidade, trabalho e habitação. Ele não foca na escassez e no difícil ou impossível que é materializar esse futuro abundante.

Mas para isso, ele precisa de “negócios com proposito” e a Jaqueline menciona algo bem interessante, a lista dos 17 desafios globais ODS são os desafios do mundo para as próximas décadas, caso esteja procurando uma área onde desenvolver a sua startup, veja esses 17 desafios globais e se encaixe neles. Assim você terá um negocio global, escalável atendendo uma necessidade real e plural.

  • Lider PTM

O líder disruptivo é movido por impactos e propósitos, ele tem para si e para a sua organização, o chamado “PTM”=Proposito Transformador Massivo. O líder é uma mente que transcende tempo e espaço, veja o Jef Bezos ou o Elon Musk, eles não estão preocupados ou limitados pelo “agora” pelo que é possível no presente, eles já estão em outro tempo e espaço mental trabalhando pelo planeta!

  • Habilidades coletivas

O líder disruptivo entende que para chegar na sua meta, precisa de uma equipe, mas não qualquer capital humano e intelectual. Ele precisa de habilidades coletivas diferenciadas. Uma equipe que está na mesma sintonia, nesse “estado de ser disruptivo” e não apenas uma lista de competências. Para isso, Jaqueline menciona 3 qualidades do líder: inovador + futurista + tecnologista. A disrupção só acontece com a união e complementação equilibrada de tecnologia + negócios + proposito.

O líder disruptivo olha e entende o futuro, sabe como trazer ele ao presente com a tecnologia, mas a tecnologia é para ele uma ferramenta de apoio. Porque o elemento humano é a base de tudo e o mais importante, a disrupção exige um novo “estado de ser”, é confrontar-se com o seu futuro. Como foi mencionado pela Jaqueline: “É preciso desumanizar-se para rehumanizar”.

  • Amor pela vida e pelo planeta

Os lideres disruptivos tem um PTM global, além das fronteiras do seu pais, Jef Bezos e Elon Musk trabalham pelo planeta e a humanidade, não apenas pelo seu pais.

Eles tem acima de tudo, um amor e empatia pela vida e pelo planeta, o negocio deles “não é só isso, mas também é isso”.

Uma ideia: Faça mais mas também seja mais!

Finalmente, quem você impacta, disrupta?

 

Sites do artigo:

Se você é de São Paulo, acesse “Eventos” gratuitos nas áreas de Design, Tecnologia, Dev, sustentabilidade e mais no site Inovabra Habitat abaixo.

Visite: https://www.inovabra.com.br/habitat/ 

Diseñador Industrial por la UAM-Azcapotzalco, México, Maestria en Diseño Sustentable por la Universidad de Bornemouth, Inglaterra. En Brasil actualmente como consultor de innovación de productos, servicios, modelos de negócios en los aspectos de sustentabilidad e inclusión.

Related Posts